Hoje faz 4 meses…

4 meses desta viagem… e que dinheiro bem gasto amigos!

Deixarei Honolulu no Hawái para chegar a Auckland na Nova Zelândia, hoje é dia 14 de Novembro e coincide com a conclusão do 4° mês de viagem. Nada melhor para celebrar que apanhar o avião…

Mais umas milhas feitas, chegando a Auckland completo 28048 milhas (e com isto passei mais de metade deste caminho).
Hoje atravesso o resto do Pacífico, o mesmo Pacífico ao que Fernão de Magalhães deu nome. Saio na noite de 14 e chego dia 16 bem cedo, para começar o dia…

Deixo o Hawái que queria conhecer. Gostei da natureza e contacto com os locais (de alguma maneira os açores dos americanos) e vou encontrar as paisagens do “senhor dos anéis” onde eu e meu amigo Paulo deveríamos ter estado vai fazer 8 anos (quando me mudei para Barcelona).
Consegui montar algo diferente mas nunca as recordações de uma viagem que seguro teria sido inesquecíveis para os dois.

Sobre o último mês andei pelo México e USA; de um país lindo mas com uma sociedade abatida como o México passei para uns Estados Unidos onde na verdade não gostaria de viver.
Se vinha com os olhos abertos, pela insegurança da América Latina, chegava com altas espectativas ao país dos sonhos. Desde companhias aéreas que não sendo “low cost” nem uma água servem… ao mesmo tempo que indicam todos os cartões de crédito que aceitam, até um sistema de transporte público como o de LA que talvez seja o pior que vi na vida ao Bus que indica ter wifi e na verdade não… aos montes de sem-abrigo de San Francisco; me levam a definir como palavra para caracterizar os EUA: desilusão

Ao sonho americano, apenas digo como Régio: “Não sei para onde vou. Sei que não vou por aí”

Ao mesmo tempo conheci e reví amigos na cidade do México, LA, San Diego e San Francisco, alguns que conheci pelo Couchsurfing em Barcelona outros que quase foram família (viagens da vida..) e em San Francisco amigos feitos já nesta viagem (na África do Sul).
Pergunto que há de melhor que esse sentimento que te leva a dar bem com outra pessoa sem nunca antes as teres visto na vida, essa química que no final se chama amizade.

Conclusão: faltam 2 meses e meio para finalizar esta viagem e voltar ao “caminho das pedras”… continuo com a roda bem no ar com a ideia sempre viva do porquê que estou aqui e agradecido; por outro lado sempre com o olho vivo e esperando o próximo amigo pelo caminho aquela história, paisagem ou aquele petisco que não esquecerás.

Viva esta possibilidade que repetiria, viva a naturalidade e a falta de intenção, vivam estes 4 meses pintados de verde e branco.

Abraço a todos e que o amanhã seja no mínimo como hoje. Rock&Roll!!!!

Leave a Reply