Cemitério da consolação… SP. / Cemetery of consolação…SP.

Porquê um cemitério? Porque tenho esse costume. Um local normal para visitar…para conhecer o passado de uma terra.

A verdade é que ali vi de todos os apelidos portugueses (mais) mas não só…deu para entender quando numa aldeia portuguesa escutas “o Zé foi para o Brasil com o primo e por lá anda…esse já não volta!”

Fui sem objectivo ao contrário de Paris e dei com a tumba da amante prediléta de D. Pedro I…Marquesa de Santos, essa mesma que deu o terreno para fazer este cemitério.

Depois de uma forma natural dei com “Antoninho”…logo fiquei a saber que é muito conhecido por aqui é como o nosso “Sousa Martins” de Lisboa 🙂 …ser santo sem ser reconhecido santo, como eu gosto!
…pena o arame farpado para evitar os assaltos; até no cemitério.

 

Why a cemetery? Because I have this custom. A normal place to visit….to know the past of a land.

There was a lot of Portuguese surnames…I remembered the sentence very used in the small villages in Portugal “the Zé went to Brasil with his cousin and this one will no longer back”.

I went there without any goal and I saw the tomb of Marquesa de Santos, the favourite lover of D. Pedro I….seems she gave the land to do this cemetery.

Then, in a natural way, I saw “Antoninho”…is known here like our “Sousa Martins” from Lisbon, a saint without canonization.

Shame of the barbed wire to avoid the assaults…

 

Leave a Reply